DOM PEDRO II SALVOU O TELEFONE - Parte I

May 20, 2019

Foi, Dom Pedro II, um Imperador moderno muito à frente de sua época. Interessava-se por novos inventos científicos como fora com a fotografia, tornando-se o primeiro Imperador a fotografar.

Porém sua maior contribuição científica teria sido certa vez em Boston quando viu na escola de surdos e mudos o jovem físico, professor da City School for theDeaf, Alexandre Grahm Bell, que apresentava solução para os esforços que se faziam na França no campo da acústica, para a transmissão do som à distância.

Dom Pedro II, após pedir minucias ao jovem professor, não excitou em mostrar de público sua admiração pelo aparelho elétrico que Bell lhe exibiu.

Em 25 de junho de 1876, Dom Pedro II, salvou o telefone após Alexandre Grahm Bell fracassar pela última vez em apresentação de seu invento a um grupo de juízes da exposição da Filadélfia, destinando-o a voltar a seu colégio onde outros mais audazes lhe arrebatariam o invento e a Graham Bell Corporation nunca teria existido.

Dom Pedro II Reconheceu o moço indo a seu encontro e cumprimentando-o. Diante dos juízes o Imperador tomou o telefone e surpreendeu-se com a clareza da voz, a perfeição daquilo e a maravilha que era.

A propaganda que acabara de fazer deu a Alexandre Bell a fama, a notoriedade, a fortuna e o êxito pleno,como noticiou a matéria de Pedro Calmon, da Academia Brasileira, para o “Correio do Povo”.

Em diário pessoal, registrou Sua Majestade: “Nasci para consagrar-me as letras e as ciências”.

Realmente, como registrou o Sesc de São Paulo e a Casa de Cultura de Israel na exposição Luzes do Império, D. Pedro II e o Mundo Judaico:“merece [Dom Pedro II] lugar na galera dos grandes vultos do século XIX. Demonstrava a placidez de um sábio, a calma de um justo, a serenidade de um homem puro, a figura venerada de um mestre, o personagem de um grande estudioso afeiçoado aos livros e às ciências”.

 

Please reload

Compartilhe
Tag Cloud

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload