A PRIMEIRA IMIGRAÇÃO PERNAMBUCANA

April 1, 2019

O Brasil era então cenário de assentamento judaico desde o descobrimento. Com a conquista holandesa em Pernambuco, os judeus refugiados encontraram nova força após o regime de horror da inquisição instalado no Brasil em 1593 e reuniram-se naquela cidade, advindos de diversas regiões brasileiras e estrangeiras.

A Holanda que formara-se como país livre desde o tratado de Utrecht em 1579, que declarou a liberdade de religião para todos os estados holandeses, foi uma ilha europeia propicia a imigração de grupos de judeus portugueses e espanhóis que ganhavam o exílio de suas casas e pátrias, alguns antes e outros depois das conversões forçadas ao cristianismo.

Com a paz restituída, os judeus reuniram-se em Pernambuco encontrando ocupação na agricultura, no comércio e na indústriaaçucareira, o que aumentou substancialmente as imigrações para o Brasil e, consequentemente, a população de Pernambuco, acarretando o desenvolvimento da colônia.

Com a liberdade religiosa assegurada pela Holanda em sua colônia brasileira e a crescente comunidade judaica aflorando no Brasil, no ano de 1654 é construída a sinagoga da Rua dos Judeus em Pernambuco.

Fora assim a primeira sinagoga do Brasil, ou das Américas, com noticiado por Leonardo Dantas Silva, da Fundação Joaquim Nabuco do Recife em “Profetas e Sábios, Rabi Aboab da Fonseca”, a “KahalKadoshZur Israel (Santa Comunidade Rochedo de Israel) estabelecida na Rua dos Judeus (atual Rua do Bom Jesus) no primeiro semestre de 1636, segundo denúncia dos predicantes do Conselho da Igreja Reformada, Schagen e Poel, feita ao Conselho Político em 23 de julho daquele ano: “Em primeiro lugar, observa-se que os judeus que residem aqui começam a estabelecer uma assembleia em forma de sinagoga, o que deve ser impedido”.

 

Please reload

Compartilhe
Tag Cloud

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload